Viven, ONG que leva educação por meio de vivências a escolas de todo Brasil, anuncia primeira edição nacional do seu Festival Videos for Change

0 14

Evento incentiva que jovens e adolescentes assumam protagonismo e debatam temas de impacto da sociedade

A ONG Viven – Cidadãos para um Amanhã Melhor – lança a primeira edição nacional do seu Festival Vídeos for Change. O evento propõe a estudantes do ensino fundamental e médio de escolas de todo o Brasil produzir vídeos de duração de um minuto sobre causas que eles acreditam merecer visibilidade. O projeto envolve o aprendizado profundo sobre o tema, por meio de debates, análises e práticas, além de apoio para que os estudantes realizem todas as etapas da produção do vídeo, desde a escolha da causa que será apresentada até a criação do roteiro e técnicas para edição e gravação. Todos os professores dos alunos participantes são formados pela Viven para que apoiem a execução do projeto.

Em 2022, a Viven organizou 12 festivais regionais do Desafio Videos for Change, abrangendo 16 localidades dos estados de São Paulo, Pernambuco, Pará, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Sergipe que movimentaram mais de 3,5 mil alunos de 108 escolas e 337 professores. Cerca de 500 vídeos foram inscritos e analisados por 55 jurados voluntários e indicados em votação popular por 15 mil pessoas. Desse total, 81 foram premiados por um corpo de jurados multidisciplinar em categorias como originalidade, criatividade, melhor uso de recursos técnicos, narrativa coerente e voto popular. Agora, na primeira edição nacional do evento, os 81 vídeos serão levados novamente à votação popular e à análise de jurados, como Luana Genot e Sônia Guimarães.

“Estamos muito felizes de apresentar nacionalmente o projeto, que, vale dizer, engloba um movimento que vai muito além do Brasil. Ele é internacional e tem o objetivo de dar oportunidade a jovens e adolescentes serem ouvidos e explicitarem suas preocupações e posicionamentos”, explica Lina Wurzmann, presidente e fundadora da Viven. “Com isso, os estudantes se aprofundam em temas que julgam relevantes e amplificam suas vozes e protagonismo”, complementa.

O trabalho da Viven teve origem na High Resolves, organização pioneira que, desde 2005, tem como missão viabilizar a educação cidadã por meio de metodologias inovadoras na Austrália e em outros países espalhados pelo mundo. O trabalho utiliza conceitos da neurociência, Teoria dos Jogos e Economia Comportamental, com resultados comprovados na prática. Atualmente, a High Resolves e a Viven fazem parte da Accelerator, uma organização mundial.

“A proposta da Viven é promover a educação cidadã, por meio de vivências, pois acreditamos que é preciso sentir para transformar. Para isso, usamos atividades como jogos, roda de conversa e outras experiências para que os estudantes ampliem o seu olhar sobre a sociedade e se tornem cidadãos mais críticos e comprometidos com a transformação social”, diz Anna Colacino, diretora executiva da organização.

No Brasil desde 2019, a ONG já implementou sua metodologia em 318 escolas de 111 cidades, contando com mais de 170 mil participações de estudantes nas vivências desenvolvidas. Os professores são fundamentais para a proposta da organização, que forma os profissionais com o objetivo de apoiá-los na implementação do método. “Formamos os professores pois eles têm o vínculo com seus estudantes, o que gera mais conexão e transformação no longo prazo. Nosso objetivo maior é contribuir para que os estudantes tenham melhores desempenhos acadêmicos, senso de pertencimento à escola e suas comunidades, consciência social, e atuem em prol da coletividade pautados por justiça social”, diz Colacino.

A votação popular do Festival Nacional do Desafio Videos For Change ocorrerá no período de 28 de agosto a 10 de setembro e qualquer pessoa pode participar. Basta acessar o site http://brasil.videosforchange.org/. A escolha dos melhores vídeos vai considerar ainda a votação dos jurados. O anúncio dos ganhadores ocorrerá em 19 setembro em uma Live no YouTube.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.