O mito da Criação Iorubá, através da sabedoria ancestral da Vovó Cici de Oxalá, é o enredo da Estrela Do Terceiro Milênio

0 14

Ebomi do terreiro Ilê Axé Opô Aganju, em Salvador, na Bahia, Nancy de Souza e Silva, de 83 anos, é conhecida carinhosamente como “Vovó Cici” e, há mais de 50 anos, dedica sua vida aos Orixás e ao Candomblé e estreia, pela primeira vez, no Carnaval de São Paulo.

A escola de samba Estrela do Terceiro Milênio, depois de nove anos, voltará a falar sobre o tema de religiosidade afro. Desta vez, inspirado na forma encantadora de como a griô contadora de histórias, Vovó Cici, explica a criação do mundo pelos orixás.  O carnavalesco Murilo Lobo irá recriar na passarela do samba a história do início do mundo inspirada pelo mito iorubá no tema: “Vovó Cici conta e o Grajaú canta: o mito da criação”.

“Seremos amplificadores de sua voz, de seu conhecimento, de sua fé, de sua emoção e desta incrível visão iorubana sobre o mito da criação. A intenção ao apresentar este olhar da crença Iorubá, é mostrar à todos os nobres valores, a beleza e a poesia da mitologia africana, difundindo conhecimento, promovendo reflexões e despertando consciências em busca da quebra de preconceitos contra as religiões de matriz africana”, explica Murilo Lobo.

Ao contar sobre o mito, Vovó fala da criação do mundo, da natureza, da participação do feminino e do masculino na criação da humanidade, e de como foi dado aos seres humanos o poder de transformar o bem em mal e o mal em bem. Além disso, ao narrar, a ebomi Cici, inclui lendas africanas, músicas, cantigas e orikis (orações) que também explicam sobre tudo que conhecemos. “Hoje sabe-se que o ponto inicial da história da humanidade começou na África”, conta a ebomi. Sendo assim, conclui-se que a cultura, a mitologia e a religião africana são saberes de tempos antiquíssimos, anteriores às demais religiões e, que só por este aspecto, já merecem respeito.

Foto: Daniel Barbosa

Neste enredo, também serão exaltados e homenageados os griôs do Carnaval. Os mestres reconhecidos por suas comunidades como detentores do saber que encarna as lutas e sofrimentos, alegrias e celebrações, derrotas e vitórias, orgulho e heroísmo das gerações passadas das comunidades sambísticas. Entre os homenageados estão: Mercadoria, Fernando Penteado, o casal de mestre-sala e porta-bandeira, Gabi e Vivi, Tia Cleuzi, entre outros.

“É importante e necessário trazermos temáticas que falem da importância da cultura e resgatem as referências africanas. Estamos muito felizes com esse enredo carregado de emoções, referências negras, afro-religiosas e com muita representatividade”, afirma o presidente Silvio Leite, conhecido na comunidade como Silvão.

O tema foi apresentado na tarde do domingo, dia 02 de junho, com uma grande festa e participação dos ritmistas da bateria Pegada da Coruja, da ala musical, estrelando o cantor Darlan Alves que fará dupla com Grazzi Brasil. O evento foi gratuito e a diretoria da Estrela do Terceiro Milênio reabriu sua sede para receber toda comunidade, componentes das alas, setores e departamentos para juntos darem o pontapé inicial com o lançamento do enredo que dará vida ao próximo desfile. O projeto “Vamos Preservar o Carnaval” tem apoio do Pronac 223514 e retoma a temporada de ensaios na quadra, com apresentação do samba-enredo e o desenvolvimento de alegorias e fantasias.

Vovó Cici de Oxalá

Carioca de nascença e soteropolitana de coração e cidadã oficial reconhecida pela prefeitura da cidade, Cici  tem 51 anos dedicados à religião Candomblé. Trabalha com crianças e pesquisadores na Fundação Pierre Verger, em Salvador, na Bahia, com contações de histórias e palestras sobre diversos temas da cultura afro-brasileira. Trabalhou ajudando o antropólogo e fotógrafo francês, Pierre Verger, legendando mais de 11 mil fotografias ligadas à cultura afro-brasileira e em países africanos.

A apresentação do enredo aconteceu na noite de ontem (04/06), em uma grande festa, na quadra da escola de samba Estrela do Terceiro Milênio, com a presença de Vovó Cici e toda comunidade da agremiação.

Jubileu de Prata

No dia 05 de maio, a escola completou 25 anos e celebra o Jubileu de Prata. Em sua história, a Milênio conquistou seis títulos nos grupos da UESP, Acesso 2 e 1 da LigaSP. Neste ano estreou no grupo Especial pela primeira vez com o tema “Me dê sua tristeza que eu transformo em alegria. Um tributo à arte de fazer rir”.

A  agremiação era um sonho antigo do presidente-fundador, Silvão Leite, que, em 1998, foi incentivado pelo falecido presidente da Rosas de Ouro, Eduardo Basílio, em criar uma escola de samba no extremo Sul da capital pois haviam bons ritmistas e sambistas na região.

Silvão, que sempre atuou como liderança comunitária, na época tomou essa ideia como missão de vida e iniciou sua jornada na fundação da escola e revitalização do entorno da quadra da escola com a construção do Centro Cultural Grajaú, o Calçadão Cultural e o 3° Milênio Esporte Clube.

“Missão dada é missão cumprida! Procurei outras lideranças, representantes políticos, uni meu povo e fui construindo a agremiação com parcerias e outros apaixonados que foram agregando ao longo do tempo. Hoje estamos celebrando 25 anos. É uma linda história e um legado cultural e esportivo para a região”, diz o presidente.

Hoje, a Estrela do Terceiro Milênio é um complexo cultural, esportivo com as aulas de futebol do time 3°Milênio para adolescentes e crianças do bairro e social com o  departamento Estrela em Ação que promove gratuitamente aulas de ballet, danças urbanas, cursos profissionalizantes de panificação e confeitaria, capoeira, escolinha de bateria para formação de ritmistas. “Estamos fomentando a região com cultura e esporte e incentivando os adultos com cursos profissionalizantes e empreendedorismo”, conta o presidente.

Assessoria de imprensa Estrela do Terceiro Milênio

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.