Visão da tecnologia como custo prevalece nos departamentos jurídicos

0 8

Para 47% dos profissionais do setor, o uso de TI avança em ritmo lento e mais de 20% consideram as ferramentas subutilizadas

Apesar de existirem cada vez mais ferramentas disponíveis para agilizar e reduzir o trabalho nos departamentos jurídicos, a adoção dessas tecnologias na prática não avança na mesma proporção. De acordo com o Índice de Operações do Departamento Jurídico, publicado pelo Thomson Reuters Institute, 47% dos escritórios consultados relatam que o ritmo de avanço em tecnologia e processos foi lento, com poucas ou nenhuma mudança feita nos últimos anos. Além disso, mais de 20% deles dizem que a tecnologia existente em seu departamento jurídico é subutilizada.

O CEO da plataforma SaaS para compliance, Kronoos, Alexandre Pegoraro, ressalta que o resultado corrobora as conclusões do estudo Hype Cycle para Tecnologias Jurídicas e de Conformidade que foi divulgada pelo Gartner no final do ano passado. Na ocasião, a pesquisa mostrou que ferramentas tecnológicas que auxiliam no gerenciamento do ciclo de vida dos contratos, por exemplo, ou instrumentos que atuam no gerenciamento de questões jurídicas ainda têm uma penetração inferior a 50% no mercado atualmente.

Pegoraro defende a tese de que ainda prevalece nos departamentos jurídicos a visualização dessas ferramentas como custos e não investimento. “Muitas dessas soluções tecnológicas podem ser utilizadas por um custo muito mais baixo do que colocar um estagiário para fazer o trabalho de maneira manual. Mas ocorre que muitos escritórios têm por hábito e tradição não assumirem custos que não possam ser repassados aos clientes. Desta maneira, se eventualmente um cliente não demandar aquela ferramenta, o custo ficará para o escritório e ele prefere não fazer este investimento”, afirma.

O executivo afirma que algumas dessas soluções são capazes de entregar em questão de minutos todas as informações necessárias para garantir o conforto do profissional na tomada de decisões. Sem elas o mesmo tipo de averiguação demora semanas. “A falta de uso se deve ao fato de que muitas vezes elas são completamente desconhecidas, pois elas geralmente tem usabilidade simples e não exigem mão de obra especializada”, conclui.

O Índice de Operações do Departamento Jurídico é composto por análises de despesas jurídicas coletadas do Legal Tracker da Thomson Reuters e obtidas junto a mais de 1.500 departamentos jurídicos corporativos e uma pesquisa da Thomson Reuters realizada em agosto e setembro de 2022 que ouviu 107 departamentos jurídicos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.