Análise documental à distância volta para reduzir filas do INSS em casos de incapacidade temporária

0 5

Expediente já havia sido usado durante a pandemia de COVID-19 com   bons resultados e passa a valer desde 20 de julho de 2023, quando foi publicada portaria

A Portaria Conjunta Ministério da Previdência Social /INSS nº 38, publicada em 20/07/2023, traz importantes mudanças para a concessão do benefício por incapacidade temporária

A nova regulamentação dispensa a emissão de parecer conclusivo da Perícia Médica Federal quanto à incapacidade laboral, simplificando o processo por meio da análise documental realizada pelo INSS.

Com essa nova medida, o prazo máximo para a concessão do benefício por meio da analise documental é de 180 dias, e ,caso o benefício seja negado, o segurado pode fazer novo requerimento em 15 dias.

Além disso, a concessão também é estendida aos benefícios por incapacidade temporária de natureza acidentária, desde que seja apresentada a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) emitida pelo empregador.

De acordo com especialista em direito previdenciário, Dr. André Beschizza, também conhecido como Dr. INSS, a Portaria MPS/INSS nº 38, “é um avanço importante para celeridade na concessão do benefício por incapacidade temporária, antigo auxílio-doença”.

A possibilidade de utilizar a análise dos atestados médicos sem a presença física do segurado já foi utilizado pela Previdência Social durante a pandemia do COVID19. Trata-se de uma melhoria que vai ajudar na redução da fila de espera do INSS.  

Quando o segurado faz o agendamento do benefício por incapacidade no INSS, a data da perícia presencial é agendada muitos meses depois, ficando o trabalhador no limbo, sem receber nenhum benefício, doente e incapacitado de trabalhar.

A possibilidade de utilizar a análise documental (ATESTMED) para a concessão do benefício facilitará o processo, reduzindo a espera para agendamentos da perícia médica presencial, que muitas vezes enfrentava filas extensas.

Com as mudanças, os segurados poderão enviar a documentação necessária por meio do Meu INSS, agilizando a concessão do benefício.

Uma dica importante é que os documentos anexados no requerimento devem estar legíveis e em conformidade com os padrões que o INSS exige, evitando problemas e acelerando o procedimento.

“A utilização da analise documental é uma medida para democratizar a demanda por perícias médicas presenciais em razão da falta de servidores Peritos Médicos em diversas regiões do Brasil”, finaliza André Beschizza.  

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.